ACONTECIMENTOS

NOTÍCIAS

Ir ao médico é seguro e necessário

A pandemia teve um efeito dramático em todo o mundo, particularmente no sistema de saúde, seja nos médicos, enfermeiros e prestadores de serviços, cuidadores e acima de tudo, nos utentes. Um dos efeitos mais percetíveis foi a redução significativa do número de pessoas que procuram assistência médica para doenças não-COVID ou que vêm adiado o acompanhamento para as suas doenças crónicas. O médico ortopedista Rui Pinto, diretor clínico do Hospital de Santa Maria – Porto, afirma que as consultas neste hospital são seguras e que as outras doenças não devem ser esquecidas.

Vemos que muitos doentes deixaram de ir ao médico por receio da pandemia. Esta é uma atitude normal? O que pode o Hospital de Santa Maria – Porto fazer para apoiar estes doentes?

É compreensível, neste período que atravessamos, que seja um enorme desafio para as pessoas saber como lidar com os seus cuidados de saúde ou consultas médicas, mesmo que se trate de exames de rotina, como um eletrocardiograma ou uma mamografia. Mas é preciso não esquecer que continuam a existir outras doenças para além da Covid-19 e que esses doentes continuam a precisar de assistência médica. O diagnóstico precoce de muitas doenças é fundamental para a cura ou melhoria do resultado final após tratamento.

É extremamente importante que as pessoas falem com seu médico antes de tomar decisões sobre o adiamento de cuidados de saúde ou consultas. Desde o início da pandemia e cada vez mais, médicos e unidades de saúde adotaram medidas rigorosas para garantir que os seus consultórios e instalações são seguros de forma a evitar a propagação do novo coronavírus. Isso foi feito pelo Hospital de Santa Maria – Porto e por isso continuamos a funcionar em pleno, com uma oferta de consultas em mais de 30 especialidades médicas e disponibilizando exames avançados nas áreas de Gastroenterologia, Imagiologia e Cardiologia, bem como serviços de Medicina Física e Reabilitação ou Medicina Dentária.

Há certos exames que não podem esperar, na medida em que o diagnóstico atempado pode fazer a diferença no processo de cura. Vacinas, análises ao sangue, mamografias, eletrocardiogramas, ecocardiogramas, endoscopias, biópsias, são exemplos de exames que devem ser realizados quando prescritos e não devem ser adiados.

Mas pode afirmar-se que é seguro ir a uma consulta ou exame médico? Ou fazer uma cirurgia?

Já o disse antes e reafirmo, sim – é seguro realizar uma consulta médica ou exames de rotina no Hospital de Santa Maria – Porto e as pessoas não devem ter receio de o fazer. O nosso hospital implementou medidas excecionais, muito rigorosas, para garantir a segurança e minimizar o risco de contágio em todas as suas instalações e isso é válido para consultas de rotina ou de urgência, para realização de exames ou para cirurgias e internamentos.

O Hospital de Santa Maria – Porto estabeleceu um plano de contingência extremamente rigoroso e bem definido, obedecendo às normas da Direção Geral de Saúde.

Como podemos cuidar melhor das pessoas com doenças não relacionadas com a Covid-19?

Embora o adiamento de alguns procedimentos, como por exemplo uma prótese da anca ou joelho, possa ocorrer sem prejuízo para os doentes, outros como infeções, tumores ou lesões, onde possa ocorrer um agravamento neurológico, não devem e não podem ser adiados. É importante reafirmar que as unidades de saúde privadas estão disponíveis, com os seus profissionais de saúde, para atender todas as situações que possam diminuir a pressão sobre o SNS. Também no âmbito desta pandemia, e no sentido de aliviar a pressão do SNS, o Hospital de Santa Maria- Porto disponibilizou, desde março de 2020, 24 camas à ARS Norte, para doentes não covid que tenham necessidade de tratamento hospitalar. Como o Hospital é muito vocacionado para o tratamento de lesões e doenças do foro da Ortopedia, temos equipas médicas disponíveis para assegurar o tratamento de doentes desta especialidade. No caso do Hospital de Santa Maria – Porto, em particular, temos convenção com a ADSE e com os principais seguros e subsistemas, o que facilita o acesso aos nossos cuidados de saúde. Há mais de 15 anos que temos convenção com o SNS para a resolução de listas de espera cirúrgica (SIGIC – sistema integrado de gestão de inscritos para cirurgia), que consiste na execução de cirurgias nas especialidades de cirurgia geral, cirurgia plástica, cirurgia vascular, ginecologia, oftalmologia, ortopedia, otorrinolaringologia e urologia. O nosso compromisso nos dias correntes e desde sempre, é continuar a oferecer serviços de saúde de excelência, com todo o conforto e em segurança.

Entrevista publicada na edição em papel do Jornal de Notícias do dia 2 de fevereiro de 2021.