ACONTECIMENTOS

DICAS

Antibióticos devem ser usados de forma responsável

Os antibióticos e as vacinas foram as descobertas mais importantes da Medicina, salvando anualmente milhões de vidas humanas em todo o mundo. Os antibióticos são medicamentos destinados ao tratamento de infeções bacterianas sendo ineficazes contra os vírus. Nos últimos anos, e pela utilização incorreta destes medicamentos, verificou-se o aparecimento de estirpes de bactérias resistentes aos antibióticos voltando as infeções a ameaçar a vida dos doentes.

A Organização Mundial da Saúde celebrou recentemente a Semana Mundial de Consciencialização Antimicrobiana enquanto, paralelamente, se celebrou o Dia Europeu da Consciencialização sobre os Antibióticos, uma iniciativa anual de saúde pública que tem como objetivo aumentar a sensibilização sobre a ameaça à saúde pública que a resistência aos antibióticos representa e a importância da sua utilização de forma prudente.

Os dados mais recentes confirmam que em toda a União Europeia o número de pacientes infetados por bactérias resistentes está a aumentar e que a resistência aos antibióticos é, de facto, uma grande ameaça para a saúde pública. A única maneira de impedir o desenvolvimento de bactérias resistentes e manter os antibióticos eficazes para o uso das gerações futuras é assegurar que estes medicamentos são utilizados de forma prudente.

Quando se deve tomar antibióticos?

Os antibióticos não são a solução para infeções causadas por vírus, como as vulgares constipações ou a gripe – estes medicamentos apenas são eficazes contra infeções bacterianas. Assim, apenas um médico pode realizar o diagnóstico correto e decidir se um antibiótico é ou não necessário.

Para além disso, os antibióticos não evitam a propagação de vírus para outras pessoas. Tomar antibióticos pelas razões erradas, como em caso de constipações ou de gripe, não traz qualquer benefício, pelo contrário, a utilização inadequada de antibióticos resulta apenas no desenvolvimento de resistência aos tratamentos com antibióticos por parte das bactérias, o que pode significar que, quando aquele doente necessitar de tomar antibióticos no futuro, estes poderão já não funcionar. Por outro lado, os antibióticos causam frequentemente efeitos secundários, como diarreia e outros, pelo que deverá sempre ser o médico a avaliar o risco/benefício da prescrição de um antibiótico.

“Por todas estas razões, os antibióticos só devem ser tomados quando receitados por um médico, sendo muito importante que sejam respeitados os seus conselhos sobre a forma de os tomar e por quanto tempo, de modo que possam manter a sua eficácia também no futuro. A utilização errada de antibióticos pode resultar no desenvolvimento de resistência nas bactérias contra tratamentos futuros e isto representa um perigo não só para a saúde da pessoa que tomou os antibióticos de forma inadequada, mas também para todas as outras pessoas que, mais tarde, podem contrair a bactéria resistente”, alerta o Dr. Rui Pinto, diretor clínico do Hospital de Santa Maria – Porto.

Após a sua utilização de acordo com a prescrição do médico, os restos de antibióticos não utilizados não devem ser guardados – as doses excedentes devem ser entregues em qualquer farmácia para posterior tratamento adequado de resíduos.

Lembre-se: manter a eficácia dos antibióticos é uma responsabilidade de todos! Não se automedique, não utilize antibióticos pelas razões erradas, nem de forma incorreta. Respeite sempre os conselhos do seu médico acerca de quando e como utilizar os antibióticos de forma responsável, de modo que estes possam conservar a sua eficácia no futuro e evitar o desenvolvimento de bactérias resistentes.