ACONTECIMENTOS

DICAS

Verão – O perigo das “dietas relâmpago”

A chegada do verão traz o calor e com ele, muitas vezes, as “dietas relâmpago” com o intuito de perda de peso rápida, tais como a dieta lowcarb, da proteína, da sopa, do chá, da lua.

Atualmente, existe uma idealização pelo corpo magro e musculado, que tem como repercussões a adoção de comportamentos alimentares muito restritivos, com o objetivo de controlar o peso corporal. Com o aproximar do verão, infelizmente cada vez mais pessoas adotam formas de perder peso rapidamente, mas nada saudáveis, que colocam em risco a saúde, tudo em prol de obter a forma física tão desejada – como são o caso das “dietas relâmpago”.

A perda de peso deveria pressupor ganhos em saúde, no entanto, o recurso a estas dietas extremistas tem apenas como objetivo a perda de peso no menor tempo possível, pois as preocupações normalmente limitam-se exclusivamente à imagem corporal. Assim, esta perda de peso pode significar danos na saúde.

A perda de peso saudável pressupõe alguns princípios, tais como:

  1. Conferir o grau de motivação – refletir se quer e se tem condições para modificar a alimentação e prática de atividade física, nas dificuldades que podem surgir e como ultrapassá-las. Não esquecer que a perda de peso implica mudanças sérias no dia-a-dia e a longo prazo;
  2. Perder peso com o apoio de um profissional habilitado para tal, devidamente credenciado pela Ordem dos Nutricionistas – a perda de peso com sucesso implica um plano individualizado e o seguimento atento e cuidadoso de um especialista durante vários meses;
  3. Envolver a família e amigos – o apoio familiar no processo de perda de peso é crucial, pois facilita a aquisição de hábitos de vida saudável, bem como evita recaídas;
  4. Fazer uma avaliação prévia e detalhada dos hábitos alimentares e da prática de exercício físico – Quanto maior o afastamento à rotina diária e aos gostos e preferências individuais mais difícil será prolongar com sucesso uma “dieta”. O aporte alimentar diário deve ocorrer distribuído por várias refeições ao longo do dia, não esquecendo o pequeno-almoço e prevendo de forma cuidada situações inesperadas (fins-de-semana, festas e férias);
  5. Desconfiar de planos alimentares monótonos ou de substâncias milagrosas – dietas da sopa, de frutas ou outras do género, que não incluam ou restrinjam fortemente determinados alimentos, são perigosas a médio/longo prazo, pois diminuem a disponibilidade de nutrientes essenciais ao bom funcionamento do organismo. Não existe uma substância ou medicamento capaz de, por si só, fazer perder peso de forma eficaz, duradoura e sem riscos para a saúde;
  6. Aumentar atividade física/exercício físico é decisivo – a possibilidade de sucesso é maior se tiver apoio ao nível do exercício físico. Por vezes, a companhia de outras pessoas com os mesmos objetivos é determinante. Para adultos (18 a 64 anos), recomenda-se 150 a 300 minutos de atividade física aeróbia de intensidade moderada ou pelo menos 75 a 150 minutos de atividade física aeróbia de intensidade vigorosa, ou uma combinação equivalente ao longo da semana. Uma meta diária simples de atingir passa por cumprir os 10 000 passos por dia, preconizado pela Organização Mundial de Saúde;
  7. Definir prazos e objetivos realistas com o profissional de saúde. Rejeitar metas impossíveis. No caso de um indivíduo com peso excessivo, uma perda gradual de 5-10% do peso inicial (0,5-1Kg por semana), já se traduz em benefícios para a saúde e constitui um objetivo realista;
  8. Ajudar a modificar o espaço que o rodeia. O ambiente alimentar que nos rodeia é, por vezes, o maior obstáculo a uma alimentação saudável. Por exemplo, insistir para que exista água disponível no local de trabalho e oferta de alimentos saudáveis (legislação DGS – máquinas de vending, venda de alimentos em cafetarias do SNS);
  9. Preparar e não desanimar. Recordar que, em qualquer processo de mudança de hábitos alimentares, o sucesso pode demorar. Vai haver fases de desânimo e momentos de insucesso em que vai apetecer desistir – aprender a lidar com esses momentos é fundamental. No final, pretende-se que haja uma perda de peso, mas acima de tudo, que tal resulte em mais saúde e numa aprendizagem no âmbito de gostar do seu corpo, mesmo que antes de atingir o resultado físico ideal.
A importância do acompanhamento e monitorização de resultados

Posto isto, para uma perda de peso eficiente e saudável as dietas muito restritivas e monótonas não são solução. Estas dietas podem despoletar um aumento do apetite, levando a um agravamento dos maus hábitos alimentares. Além disso, neste tipo de “dietas relâmpago” a perda de peso é, normalmente, resultado da perda de água e de massa muscular e não de massa gorda, existindo uma recuperação do peso perdido muito rapidamente. Portanto, de forma a garantir uma composição corporal equilibrada e adequada para manter a saúde, a simples avaliação do peso não é suficiente.

Neste sentido, o equipamento InBody 770, disponível no Hospital de Santa Maria – Porto é um dos métodos que pode utilizar para monitorizar a sua perda de peso e se esta ocorre no sentido correto, ou seja, manutenção ou aumento da massa magra e diminuição da gordura e edema. Através da análise da composição corporal é possível obter valores reais e objetivos de peso, tendo em conta todos os seus componentes (massa muscular, massa gorda, gordura visceral e água).

Numa dieta de perda de peso há alimentos que devem ser evitados, são o caso de alimentos com maior densidade calórica, ricos em gorduras e açúcares de adição, mas isso não implica que estes nunca mais possam ser consumidos. Assim, não se pretende a eliminação de qualquer alimento, mas sim a limitação, diminuindo a quantidade e a frequência da sua ingestão.

É crucial assegurar um aporte de macro e micronutrientes, de acordo com a idade e a atividade física. Assim sendo, a adesão a dietas autoimpostas sem acompanhamento de um profissional habilitado leva a um número elevado de complicações orgânicas e comportamentais. Deste modo, a educação alimentar contínua é imprescindível, pois é mandatário educar em nutrição.

Se tem dúvidas ou se pretende seguir um programa para perda de peso, consulte a nossa equipa de Nutrição para um plano personalizado!

Equipa de Nutrição do Hospital de Santa Maria – Porto