ACONTECIMENTOS

NOTÍCIAS

Rastreio de nódulo da tiróide no Hospital de Santa Maria – Porto

Estima-se que em Portugal mais de um milhão de pessoas sofrem de patologias associadas à tiróide, o que torna a sua prevenção e diagnóstico precoce muito importante.

Entre as doenças mais frequentes da tiróide destacam-se: o bócio (aumento difuso do tamanho da tiróide); os nódulos da tiróide (extremamente frequentes sobretudo nas mulheres – 1 em cada 15 mulheres e 1 em cada 60 homens em Portugal tem nódulos da tiróide palpáveis); o cancro da tiróide (que tem habitualmente excelente prognóstico sobretudo se for tratado numa fase inicial); e as alterações da função da tiróide (funcionamento  em excesso – hipertiroidismo – ou de menos – hipotiroidismo). Estas e outras situações como por exemplo as tiroidites ou a associação de doenças da tiróide e gravidez são indicação para observação por um especialista ou grupo de especialistas nesta área para decidir qual a melhor forma de tratamento.

Na sequência da celebração do Dia Mundial da Tiróide, no dia 25 de maio, e integrado na iniciativa “12 Meses, 12 Rastreios”, o Hospital de Santa Maria – Porto promove este mês um Rastreio de Nódulo da Tiróide, dedicado a indivíduos a partir dos 25 anos que apresentem algum fator de risco.  Os fatores de risco que caracterizam os candidatos a este rastreio são a história familiar de doença da tiróide (neoplasia ou disfunção tiroideia), história pessoal de doença da tiróide ou ainda historial de radiação da região do pescoço devido a patologia oncológica. A sensação de corpo estranho na garganta ou aumento da glândula da tiróide também são sintomas que justificam a realização deste rastreio.

As consultas de rastreio são gratuitas e decorrem nos dias 18 e 25 de maio, necessitando de marcação prévia, através do telefone 225 082 000.

As consultas serão realizadas pelos Drs. José Polónia e Nuno Muralha, médicos cirurgiões e, caso seja necessário, incluem a realização de uma ecografia da tiróide.

De notar que, de acordo com a Ordem dos Médicos, a ecografia é um exame indispensável na avaliação da doença nodular da tiróide, permitindo diagnosticar e caracterizar morfologicamente os nódulos da tiróide, sendo o método de eleição para a estratificação do risco de malignidade.

No entanto, a grande maioria destes nódulos, mesmo quando evolui, tem um comportamento habitualmente muito indolente sem consequências graves para a saúde.

O que é o nódulo da tiróide?

Nódulos da tiróide são “caroços” que aparecem frequentemente no interior da tiróide, uma pequena glândula localizada na base do pescoço, logo acima do esterno. Estes nódulos são grupos de células que crescem anormalmente no interior da tiróide. Eles podem também ser quistos, que são cavidades cheias de líquido, ou então inchaços provocados por inflamação da tiróide. A maior parte dos nódulos da tiróide não são doenças malignas e muito poucos interferem com a saúde de quem os tem.

Ocasionalmente, alguns nódulos tornam-se tão grandes que podem ser vistos, como um inchaço na base do pescoço e podem ser sentidos por palpação. Alguns podem pressionar a traqueia ou o esófago, causando falta de ar ou dificuldade ao engolir.

Quando deve consultar um médico?

Embora a maioria dos nódulos da tiróide não causem problemas, deverá ir a uma consulta se sentir qualquer inchaço incomum no pescoço, especialmente se for acompanhado de dificuldade para respirar ou engolir.

As opções de tratamento dependem do tipo de nódulo da tiróide e podem incluir medicação ou procedimento cirúrgico. O seu médico fará uma avaliação e dará indicação para estudos complementares, caso seja diagnosticado algum nódulo da tiróide